Vender, vender, vender…

Vender, vender, vender…

Base para toda atividade econômica, a venda muitas vezes é negligenciada por causa de crenças limitantes

 

Você que é empresário, líder ou profissional liberal, pare e pense: qual é a sua principal atividade?

Você é funcionário, professor, padre ou estudante, pare e pense: qual é a sua principal atividade?

Para todos esses e muitos outros, a resposta é a mesma: vender! Nossa principal atividade é vender. Neste exato momento, eu estou vendendo algo para você. Estou lhe vendendo uma ideia, um pensamento, uma crença minha. Se algo do que eu estiver escrevendo aqui fizer sentido e te levar a uma mudança de comportamento, bingo! Eu vendi minha ideia! Uhuuuuullllll!

Se você me contratar como seu coach, melhor ainda!!!

Mas sigamos na reflexão: hoje eu tenho uma família linda. Uma esposa que eu amo muito e dois filhos maravilhosos. Constituir essa família só foi possível graças a uma venda. Certo dia, eu vendi para aquela moça linda a ideia de que eu seria o marido perfeito para ela. E ela comprou essa ideia!! Uhuuuullll!

O líder, por exemplo, precisa vender para o liderado a ideia de que, se ele fizer aquela atividade bem feita, todos terão retorno. O funcionário deve vender para o seu líder a imagem de que é competente. O negócio – qualquer negócio – só terá sucesso se houver venda.

Veja o meu caso. Minha missão é: “Inspirar pessoas e empresas a buscarem sua melhor versão e, assim, alcançarem resultados extraordinários!”. Trabalho com treinamento comportamental e coaching por causa desse ideal de vida. Para eu conseguir atingir objetivo, qual é o primeiro grande passo? Vender, claro! Se ninguém me contratar como treinador comportamental ou coach, não conseguirei inspirar ninguém.

Acontece que, na maioria das vezes, temos a crença de que venda é algo ruim. E, você já sabe, as crenças determinam nossas ações. Se, na minha cabeça, a crença está ligada a algo chato, desonesto ou a algum aproveitador, eu certamente evitarei qualquer coisa relacionada a vendas.

Modificar crenças é fundamental para ter sucesso nessa ação fundamental em todas as áreas de nossa vida. E, com uma nova mentalidade, fazer girar a roda que vai trazer resultados extraordinários seja na sua empresa, seja na sua liderança ou na sua vida pessoal.

Se a venda é convencer alguém de algo, seja uma ideia ou a importância de um produto, quem é a pessoa mais importante na venda? A resposta parece óbvia. Ou nem tanto. A pessoa mais importante, claro, é quem precisa “comprar” aquela ideia ou produto. É o receptor. Ou não?

Agora, lhe pergunto: na sua atividade, empresa ou liderança, você coloca o “comprador” em primeiro lugar? Entende o indivíduo na essência para poder levá-lo a compreender que aquilo que você está oferecendo é algo que vai fazer muito sentido na vida dele?

Porque a venda só é efetiva se fizer sentido para o comprador. Nosso produto deve curar a dor do cliente. Deve atender a uma necessidade. A venda, assim, é algo extremamente benéfico, é a oportunidade de fazer o bem, levar solução, melhorar a vida das pessoas. É atender a uma necessidade, e não tirar proveito. 

O vendedor que pensa só em si é um péssimo vendedor. Ele deve pensar, primeiramente, no cliente. O lucro é a consequência.

Vamos lá, então, para as conclusões: vender é fundamental para o seu sucesso, seja pessoal ou profissional. Mudança de crença e alinhamento de objetivos são importantes para ser um bom vendedor. Pensar na necessidade do outro e alinhar a comunicação com essa necessidade é a grande sacada para vender de forma poderosa e sistemática.

A principal ferramenta das vendas? Comunicação! Assunto para outro artigo.

No Comments

Post A Comment